O PÁSSARO SANGRENTO (1987). Dir.: Michele Soavi.

NOTA: 9.5

Sinopse:

Um grupo de teatro está ensaiando uma peça sobre um assassino em série. Durante o ensaio, um dos membros da equipe é morto pelo maníaco, que escapou de um hospital psiquiátrico e se escondeu no prédio, e está disposto a matar a todos.

Michele Soavi foi o último dos grandes diretores do cinema de horror italiano, tendo sido responsável por um dos maiores filmes de zumbi de todos os tempos, o clássico Pelo Amor e Pela Morte (1994), o longa que encerrou de vez o ciclo do horror italiano no cinema.

Em 1987, Soavi estreou na direção com O PÁSSARO SANGRENTO, um Slasher metalinguístico, e um dos melhores do gênero. Assim como seus outros filmes, este aqui é carregado de imagens líricas e momentos de pura beleza.

O Pássaro é um verdadeiro espetáculo visual, com suas cenas carregadas de violência e momentos de tensão, combinados à direção de Soavi, que já mostrou altamente capacitado.

Conforme mencionado acima, O Pássaro é um Slasher, no sentido clássico da palavra, com tudo que tem direito, desde a figura do assassino mascarado, até as cenas de morte sangrentas, e aqui, temos muito sangue.

O importante é dizer que, na época do lançamento do filme, o gênero americano estava em queda, com produções de baixa qualidade e pouco inspiradas, além de continuações dos clássicos já estabelecidos – que não são ruins, vale lembrar. Em comparação com o que era produzido nos Estados Unidos, O Pássaro é excelente.

Também conforme mencionado acima, O Pássaro é um Slasher metalinguístico, porque fala justamente de uma peça de teatro dentro do filme, e logo na abertura, somos brindados com uma sequencia ambientada em um palco, mas não sabemos disso até que o diretor da peça aparece e encerra a apresentação; aí, descobrimos que se trata de um ensaio.

A partir daí, somos brindados com muitas cenas ambientadas dentro do teatro, com o elenco e a equipe se preparando para a estreia da peça, mas, conforme descobrimos, se torna impossível, não apenas pelo pouco tempo que eles têm, mas por causa da figura do assassino.

Antes de falar dele, vou falar dos personagens. A começar pelo diretor da peça, Peter. Ele é um grande cretino, que não ouve ninguém, e está disposto a realizar a peça a qualquer custo, e não pensa duas vezes antes de dispensar a protagonista. Alicia, a protagonista, tem bom coração e quer se provar uma boa atriz, mas também bate de frente quando precisa. Brett é um ator de temperamento forte, que não liga para a opinião dos outros e afronta os membros da equipe. Os demais são aqueles típicos personagens caricatos e exagerados, comuns nas produções italianas, mas não deixam de ser interessantes.

Já o assassino é o melhor personagem do filme, a começar pelo visual. Durante o filme inteiro, ele veste uma roupa preta e usa uma grande máscara de coruja; um visual belíssimo. E assim como seus colegas americanos, ele é implacável e não poupa ninguém, utilizando métodos criativos para matar os personagens.

Em relação às cenas de morte, temos aqui, algumas das mais sangrentas do gênero. Conforme mencionado acima, o assassino faz uso da criatividade para executar os crimes, com tudo que está à sua disposição, desde uma motosserra à um machado. Temos aqui decapitações, corpos cortados ao meio e pessoas perfuradas. A melhor cena é a da furadeira, que me surpreendeu na primeira vez que assisti ao filme. Após as cenas de morte, temos um verdadeiro espetáculo armado no palco pelo assassino.

A direção de Soavi aqui é correta e criativa, com belos truques de câmera e momentos de beleza, que se tornariam marca do cineasta nos filmes futuros.

Além das cenas de morte, temos também cenas muito tensas, principalmente quando a protagonista foge do assassino. A cena da chave é a mais tensa de todas, justamente porque não sabemos como vai acabar.

O Pássaro foi produzido por Joe D’Amato, um dos grandes nomes do cinema bagaceiro italiano, responsável por mais de 100 produções. O roteiro foi escrito por Luigi Montifiore, também conhecido por George Eastman, que esteve presente em O Antropófago, dirigido por D’Amato.

Foi lançado em DVD no Brasil pela Versátil Home Vídeo, na coleção Slashers, após anos fora de catalogo.

Enfim, O Pássaro Sangrento é um filme maravilhoso. Um Slasher italiano, com assassinatos criativos, cenas antológicas e momentos arrepiantes. Um filme que entra em conflito com os slashers produzidos nos Estados Unidos na época, e que consegue ser melhor do que eles. Um dos filmes mais assustadores de todos os tempos. Excelente.

Créditos: Versátil Home Vídeo

O Pássaro Sangrento (1987).

Acesse também:

https://livrosefilmesdehorror.blogspot.com/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s